CarlAn - Garatujar. Com tecnologia do Blogger.
12.10.11

postheadericon O Silva das vacas ou o fascínio bovino

O Silva das vacas ou o seu fascínio bovino [com vídeo]

Algumas das reminiscências da minha escola primária têm a ver com vacas.

Porque a D.ª Albertina, a professora, uma mulher escalavrada e seca, mais mirrada que uva-passa, tinha um inexplicável fascínio por vacas. Primavera e vacas. De forma que, ora mandava fazer redacções sobre a primavera, ora se fixava na temática da vaca.

A vaca era, assim, um assunto predilecto e de desenvolvimento obrigatório, o que, pela sua recorrência, se tornava insuportavelmente repetitivo. Um dia, o Zeca da Maria “gorda”, farto de escrever que a vaca era um mamífero vertebrado, quadrúpede ruminante e muito amigo do homem a quem ajudava no trabalho e a quem fornecia leite e carne, blá, blá, blá, decidiu, num verdadeiro impulso de rebelião criativa, explicar a coisa de outra forma. E, se bem me lembro ainda, escreveu mais ou menos isto:

“A vaca, tal como alguns homens, tem quatro patas, duas à frente, duas atrás, duas à direita e duas à esquerda. A vaca é um animal cercado de pêlos por todos os lados, ao contrário da península que só não é cercada por um. O rabo da vaca não lhe serve para extrair o leite, mas para enxotar as moscas e espalhar a bosta. Na cabeça, a vaca tem dois cornos pequenos e lá dentro tem mioleira, que o meu pai diz que faz muito bem à inteligência e, por não comer mioleira, é que o padre é burro como um tamanco. Diz o meu pai e eu concordo, porque, na doutrina, me obriga a saber umas merdas de que não percebo nada como as bem-aventuranças. A vaca dá leite por fora e carne por dentro, embora agora as vacas já não façam tanta falta, porque foi descoberto o leite em pó. A vaca é um animal triste todo o ano, excepto no dia em que vai ao boi, disse-me o pai do Valdemar “pauzinho”, que é dono do boi onde vão todas as vacas da freguesia. Um dia perguntei ao meu pai o que era isso da vaca ir ao boi e levei logo um estalo no focinho. O meu pai também diz que a mulher do regedor é uma vaca e eu também não entendi. Mas, escarmentado, já nem lhe perguntei se ela também ia ao boi.”
Foi assim. Escusado será dizer que a D.ª Albertina, pouco dada a brincadeiras criativas, afinfou no pobre do Zeca um enxerto de porrada a sério. Mas acabou definitivamente com a vaca como tema de redacção.

Recordei-me desta história da D.ª Albertina e da vaca do Zeca da Maria “gorda”, ao ler que Cavaco Silva, presidente da República desta vacaria indígena, em visita oficial ao Açores, saiu-se a certa altura com esta pérola vacum: “Ontem eu reparava no sorriso das vacas, estavam satisfeitíssimas olhando o pasto que começava a ficar verdejante”! Este homem, que se deixou rodear, no governo, pelo que viria a ser a maior corja de gatunos que Portugal politicamente produziu; este homem, inculto e ignorante, cuja cabeça é comparada metaforicamente ao sexo dos anjos; este político manhoso que sentiu necessidade de afirmar publicamente que tem de nascer duas vezes quem seja mais honesto que ele; este “cagarola” que foi humilhado por João Jardim e ficou calado; este homem que, desgraçadamente, foi eleito presidente da República de Portugal, no momento em que a miséria e a fome grassam pelo país, em que o desemprego se torna incontrolável, em que os pobres são miseravelmente espoliados a cada dia que passa, este homem, dizia, não tem mais nada para nos mostrar senão o fascínio pelo “sorriso das vacas”, satisfeitíssimas olhando o pasto que começava a ficar verdejante”! Satisfeitíssimas, as vacas?! Logo agora, em tempos de inseminação artificial, em que as desgraçadas já nem sequer dispõem da felicidade de “ir ao boi”, ao menos uma vez cada ano!

Noticiava há dias o Expresso que, há mais ou menos um ano e aquando de uma visita a uma exploração agrícola no âmbito do Roteiro da Juventude, Cavaco se confessou “surpreendidíssimo por ver que as vacas, umas atrás das outras, se encostavam ao robô e se sentiam deliciadas enquanto ele, durante seis ou sete minutos, realizava a ordenha”! Como se fosse possível alguma vaca poder sentir-se deliciada ao passar seis ou sete minutos com um robô a espremer-lhe as tetas!!

Não sei se o fascínio de Cavaco por vacas terá ou não uma explicação freudiana. É possível. Porque este homem deve julgar-se o capataz de uma imensa vacaria, metáfora de um país chamado Portugal, onde há meia-dúzia de “vacas sagradas”, essas sim com direito a atendimento personalizado pelo “boi”, enquanto as outras são inexoravelmente “ordenhadas”! Sugadas sem piedade, até que das tetas não escorra mais nada e delas não reste senão peles penduradas, mirradas e sem proveito.

A este “Américo Tomás do século XXI” chamou um dia João Jardim, o “sr. Silva”. Depreciativamente, conforme entendimento generalizado. Creio que não. Porque este homem deveria ser simplesmente “o Silva”. O Silva das vacas. Presidente da República de Portugal. Desgraçadamente.


Luís Manuel Cunha in Jornal de Barcelos de 05 de Outubro de 2011





0 comentários:

FacebooK

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste dispositivo

Posts mais vistos

Ocorreu um erro neste dispositivo

800ISO no Facebook

Troca de Livros no Facebook

garatujar

verbo no Infinitivo pessoal

do It. grattugiare, esfarelar com ralo

v. tr. e int.,
cobrir com garatujas;
fazer garatujas;
rabiscar.
Gerúndio - garatujando

"Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que fez tua rosa tão importante." -- Antoine de St. Exupery (in "O princepezinho")

para pensar...

"...sob certas condições, os capitalistas privados inevitavelmente controlam, directa ou indirectamente, as principais fontes de informação (imprensa, rádio, educação). É então extremamente difícil, e na maior parte dos casos na verdade quase impossível, para o cidadão individual chegar a conclusões objectivas".

Albert Einstein, 1949

________________________________
«Uma revolução pode mudar as instituições, mas em nada alterou o carácter dos homens. Eles continuarão a ser o que eram: perversos e imbecis.»

Carlos da Maia, um dos oficiais da Armada no 5 de Outubro, em carta ao político republicano João Chagas, Junho de 1911
" Estamos perdidos há muito tempo... O país perdeu a inteligência e a consciência moral. Os costumes estão dissolvidos, as consciências em debandada. Os caracteres corrompidos (...) Ninguém crê na honestidade dos homens políticos."
EÇA DE QUEIROZ

Não quero garatujar mais a cidade. A cidade já é diferente com tanto verde-azeitona e tanta varanda caída. Tantas vedações e instruções, tantas palavras de ordem que os cartazes políticos nos recomendam. Nada disso. Nem mais uma ordem, nem mais um só homem a mandar na minha vida.

Todos se van (Diários de Havana), Wendy Guerra 2006


Amorim acusado de evasão fiscal

O Plano Nacional de Barragens

Isaltino pode não cumprir pena

BBC esplica a crise na Europa

"Gosto muito de te ver Coelhinho"

tags

Sócrates Vídeo Face oculta PS PT Wikileaks Cavaco Silva google TVI Facebook Madeira Portugal Rui Pedro Soares divida da republica video YouTube humor Moody's Temporal Saúde banca BPN EDP Funchal Luís Figo Twitter ASAE BCP Bolsa Corrupção Mário Soares Paulo Penedos vídeo humor Bush Comissão de Ética Justiça Marinho Pinto News PSD SNS Solidariedade Social short-selling Ana Sofia Cuba DESIGUALDADES Durão Barroso FMI Fernando Nobre Fidel Castro Free Download Galp Google Buzz Gripe A Internet Iraque Julian Assange Manuel Alegre Mário Crespo Publico Ricardo Rodrigues Tiago Caiado Guerreiro Vaticano Vieira da Silva escutas iPad iPhone rating português AMI Ana Gomes BdP CERN CMVM Chávez DECO Demagogias Felícia Cabrita Google Earth H1N1 Hospital Amadora-Sintra Islandia vulcão Jorge Coelho Jornal de sexta João Cravinho Maddie Microsoft Mirrors OMS Oeiras PEC Pablo Picasso Paulo Rangel Saúde EUA Tablet Vítor Constâncio Zeinal Bava firefox openleaks remuneração de administradores transportes públicos (H1N1) BES Barack Obama Berlusconi Blindness Catarina Furtado Che Chomsky Dawkins Dire Straits Elton Elvis Entre-os-Rios Eric Clapton Esmeralda Euro 2012 FPF Farmville Festival de Veneza Francisco George Gonçalo Amaral Google Sky Greenpeace Gripe Guevara Hugo Chávez Jorge Batista José Penedos José Saramago João Soares Juan Carlos Laura Torrisi Lei do Financiamento Partidário Luís Montenegro MP3 Madeleine McCann Manuela M. Guedes Mapa mundo Maria José Morgado Mario Lino McCann Mercosul Michael Jackson Naide Gomes Nobel da Paz PSP PT/TVI Paul Pfizer Pirelli Portugal Telecom (PT) Potts Presley Radio Nowhere Ramos Horta Richard Rihanna SEDES SOL Segurança Social Setúbal Sporting Star Tracking Sting TIME Teixeira dos Santos The Police UNICEF Viagens Virgil Wikiscanner Yahoo dinossauros discriminações iPod jornal sexta obstetra pobreza infantil raio-x sandes slideshow template ucrania

Últimos 30 dias

Quintas com Livros

Outros Garatujadores

Ocorreu um erro neste dispositivo

Público

Siga o Blog por Email